Clareador Cerebral


Carta resposta ao sagrado mundo da ficção

Oi, tudo bem? Desculpe-me a demora, mas a vida está uma correria e cada dia que passa me vejo mais entretida com esse mundo desumano. Tudo está indo, correndo contra o tempo como se fosse mágica. Estou diferente sim, assumo! Crescer a cada dia dói mais que todas as loucuras de adolescente. Lembra-se das nossas loucuras? Ah! Nem foram tantas, mas parecem histórias inacabáveis. Outro dia escutei aquela música do passado, lembrei do dia em que nos conhecemos. Calor não é? Lembro do meu jeito de menina vestindo calça jeans e tênis barato, e você com tipo de mais velho, mas ainda um menino que quase não tinha barba. Éramos felizes e não sabíamos, fazer o que? Minha arte está na minha alma e na minha pele, ainda estou viciada em Chico Buarque. Mas nem tanto – risos. Pelo menos deixei Pink Floyd e Legião Urbana de lado. Escrevi bastante sim, até mandei algumas coisas para que você lesse, não sei se isso aconteceu, mas queria que sim. Espero que sim. Desejo que sim. Saudades! Às vezes bate como luz nos olhos ao acordar, mas me remeto à realidade e logo passa. Consegui enfim terminar os 100 melhores contos brasileiros do século. Quantos anos não? Mas tive que ler cada um ao seu tempo, e acho que amadureci muito para alguns e para outros não. Queria te mostrar tanta coisa, mas acho que hoje em dia não combinaria muito com você. Esse alguém que não conheço mais, mas sou obrigada a me relacionar por simples vício. Vício de você, como se fosse um alguém de ontem, hoje e sempre, alguém que estará na minha vida para sempre. Não queria que você abandonasse o violão pelo dinheiro, aquele menino das serenatas não pode ser esse crápula de hoje! Desculpe-me. Não devo chamar-te assim, é que dói imaginar que você não cresceu, ou cresceu para essa terra de meu Deus sem dono chamada vida. Sim, eu ainda acho que dinheiro não é tudo. “Nada pode tudo na vida” como diria o Itamar. Ah! Acho que você leu nos jornais sobre a morte dele, já esperava, mas minha mãe não ficou bem e ele foi enterrado aqui no nosso túmulo, aquele que você nos visitou na última morte da família. Ah! Desculpe-me não ter comparecido ao velório do seu avó, mas como não sou nada sua, não me senti no direito. Espero que você esteja bem, apesar de sua boa relação com a morte. Desculpe-me não ter ligado no seu aniversário, mas era Carnaval, e não quis atrapalhar. Fiz-te um poema. Recebeu? Eu recebi sua última ligação, ouvi sua voz, fui rude, e fiquei quietinha no trabalho pensando sobre o certo e errado. Mande um beijo para os seus irmãos. Estou bem. Minha vida tomou um rumo, acho que viu, e brincar com o passado não é a melhor tarefa. Quer saber? Eu e Ele estamos bem também, melhores que nunca, tirando uma briga que tivemos, ele voltou para a casa dos pais e trepou com meio São Paulo. Nesse tempo separados, eu trepei com um. Não vale a pena contar. Conto somente você e Ele, o resto acho que não vale a pena em nada.  Queremos um filho agora, eu quero. Mulher tem dessas. Ouvi falar que você ficou noivo. Típico! Um cara como você não moraria junto nunca, fora que sua família não suportaria. Sua noiva provavelmente é loira, alta, filha de algum amigo dos seus pais. Deve ser aquela santa, que você leva ao Motel depois de jantar no restaurante sábado à noite e se revela. Das melhores. Ainda não consigo segurar minha língua, nesse caso, meus dedos, e escrevo o que penso. Não te amo mais. Mas queria que soubesse que estou aqui. Sem mais.

 

 

 

Ficção e realidade muitas vezes esbarram-se. Se isso é verdade ou não, basta me perguntar.

 

Mariana Perin



 Escrito por Clareador Cerebral às 15h10
[   ]




Feliz ou Infelizmente

Como sempre eu dou referências de links ou colunas que leio sempre. Mas hoje foi impossível não postar a coluna quase que na íntegra. Meu texto que estava pronto fica para outro dia, pois segue abaixo e espelho de quem sou! E foi escrito por mulheres que nem sabem da minha existência - ou sabem... risos

 

Mariana Perin

 

O apego pelos sujinhos

2 neurônio

Sempre nos orgulhamos de gostar de garotos meio sujinhos. Aqueles que não têm o cabelo tão penteado assim, usam a roupa meio mal-ajambrada e até dão calote no banho de vez em quando. E que desde infância usam cabelo tipo "caminho de rato". Gostam de bandas barulhentas. E a gente achou isso meio adorável. É como se nosso namorado fosse o James Dean.
O apego pelos sujinhos é uma doença que preocupa a família. A sua prima está lá, no almoço de família, com o namorado médico. E você, com um cara todo troncho sem profissão. Depois do primeiro sujinho aparecem outros. E a sua família até fica feliz quando você apresenta um sujinho que pelo menos tem profissão.
Os sujinhos nos atraem pelas roupas fofas descombinadas (que eles ficaram horas experimentando no espelho) e pelos problemas. Vamos aqui repetir que sofremos de atração por PIDs (pretês com infância difícil). Isso inclui filhos de hippies criados em comunidades bizarras e garotos que foram achados na lata de lixo (nunca encontramos um desses, mas, se encontrássemos, fatalmente nos apaixonaríamos).
Um dia você acorda e vê que isso não tem graça, pois os sujinhos desajustados bagunçam sua vida também. E você até gostava de brincar de "playmobil problemático", mas depois de uma seqüência interminável de sujinhos, isso perdeu a graça.
Você resolve que, a partir de agora, só vai namorar gente séria. Engenheiros, advogados e rapazes que tenham vergonha de dizer que deram calote no banho. Moços que nunca deram calote no ônibus. Alguém que tenha carro. Garotos de boa índole para apresentar para a sua mãe. Senhores que ajudam. Mas é só um rasgadinho passar pela frente para você ter taquicardia.
A solução é encontrar um sujinho fake. Um garoto mal ajambradinho com a roupa meio torta e que não amarre o cadarço. Mas que esteja ali quando você precisar. E que saiba brincar de "playmobil adulto" de vez em quando. Sobretudo, que não faça um caminho de rato no seu coração.
E por que mulheres como nós gostam de sujinhos? Ah, como sempre, é tudo culpa do Iggy Pop, do David Bowie... E do Beck (que está lançando disco novo, mas continua sujinho!)




 Escrito por Clareador Cerebral às 13h52
[   ]





 



M.P
BRASIL,
Histórico
  16/05/2010 a 22/05/2010
  07/02/2010 a 13/02/2010
  20/12/2009 a 26/12/2009
  22/11/2009 a 28/11/2009
  13/09/2009 a 19/09/2009
  16/08/2009 a 22/08/2009
  09/08/2009 a 15/08/2009
  26/07/2009 a 01/08/2009
  19/07/2009 a 25/07/2009
  05/07/2009 a 11/07/2009
  28/06/2009 a 04/07/2009
  21/06/2009 a 27/06/2009
  25/01/2009 a 31/01/2009
  11/01/2009 a 17/01/2009
  30/11/2008 a 06/12/2008
  23/11/2008 a 29/11/2008
  16/11/2008 a 22/11/2008
  13/07/2008 a 19/07/2008
  22/06/2008 a 28/06/2008
  18/05/2008 a 24/05/2008
  20/04/2008 a 26/04/2008
  03/02/2008 a 09/02/2008
  13/01/2008 a 19/01/2008
  02/12/2007 a 08/12/2007
  18/11/2007 a 24/11/2007
  21/10/2007 a 27/10/2007
  07/10/2007 a 13/10/2007
  30/09/2007 a 06/10/2007
  09/09/2007 a 15/09/2007
  26/08/2007 a 01/09/2007
  19/08/2007 a 25/08/2007
  12/08/2007 a 18/08/2007
  29/07/2007 a 04/08/2007
  22/07/2007 a 28/07/2007
  15/07/2007 a 21/07/2007
  08/07/2007 a 14/07/2007
  24/06/2007 a 30/06/2007
  10/06/2007 a 16/06/2007
  03/06/2007 a 09/06/2007
  27/05/2007 a 02/06/2007
  13/05/2007 a 19/05/2007
  06/05/2007 a 12/05/2007
  22/04/2007 a 28/04/2007
  08/04/2007 a 14/04/2007
  01/04/2007 a 07/04/2007
  25/03/2007 a 31/03/2007
  18/03/2007 a 24/03/2007
  11/03/2007 a 17/03/2007
  04/03/2007 a 10/03/2007
  25/02/2007 a 03/03/2007
  18/02/2007 a 24/02/2007
  11/02/2007 a 17/02/2007
  04/02/2007 a 10/02/2007
  28/01/2007 a 03/02/2007
  21/01/2007 a 27/01/2007
  14/01/2007 a 20/01/2007
  07/01/2007 a 13/01/2007
  31/12/2006 a 06/01/2007
  24/12/2006 a 30/12/2006
  10/12/2006 a 16/12/2006
  26/11/2006 a 02/12/2006
  12/11/2006 a 18/11/2006
  29/10/2006 a 04/11/2006
  22/10/2006 a 28/10/2006
  15/10/2006 a 21/10/2006
  30/07/2006 a 05/08/2006
  23/07/2006 a 29/07/2006
  16/07/2006 a 22/07/2006
  09/07/2006 a 15/07/2006
  02/07/2006 a 08/07/2006
  11/09/2005 a 17/09/2005
  28/08/2005 a 03/09/2005
  07/08/2005 a 13/08/2005
  31/07/2005 a 06/08/2005
  24/07/2005 a 30/07/2005
  17/07/2005 a 23/07/2005
  12/06/2005 a 18/06/2005
  05/06/2005 a 11/06/2005
  29/05/2005 a 04/06/2005
  22/05/2005 a 28/05/2005
  15/05/2005 a 21/05/2005
  08/05/2005 a 14/05/2005
  01/05/2005 a 07/05/2005
  24/04/2005 a 30/04/2005
  17/04/2005 a 23/04/2005
  03/04/2005 a 09/04/2005
  27/03/2005 a 02/04/2005
  20/03/2005 a 26/03/2005
  13/03/2005 a 19/03/2005
  06/03/2005 a 12/03/2005
  27/02/2005 a 05/03/2005
  20/02/2005 a 26/02/2005
  13/02/2005 a 19/02/2005
  06/02/2005 a 12/02/2005
  30/01/2005 a 05/02/2005
  23/01/2005 a 29/01/2005
  16/01/2005 a 22/01/2005
  09/01/2005 a 15/01/2005
  02/01/2005 a 08/01/2005
  26/12/2004 a 01/01/2005
  19/12/2004 a 25/12/2004
  12/12/2004 a 18/12/2004
  05/12/2004 a 11/12/2004
  21/11/2004 a 27/11/2004
  14/11/2004 a 20/11/2004
  07/11/2004 a 13/11/2004
  31/10/2004 a 06/11/2004
  24/10/2004 a 30/10/2004
  17/10/2004 a 23/10/2004
  10/10/2004 a 16/10/2004
  03/10/2004 a 09/10/2004
  26/09/2004 a 02/10/2004
  12/09/2004 a 18/09/2004
  05/09/2004 a 11/09/2004
  29/08/2004 a 04/09/2004
  22/08/2004 a 28/08/2004
  15/08/2004 a 21/08/2004
  08/08/2004 a 14/08/2004
  01/08/2004 a 07/08/2004
  18/07/2004 a 24/07/2004
  11/07/2004 a 17/07/2004
  04/07/2004 a 10/07/2004
  27/06/2004 a 03/07/2004
  20/06/2004 a 26/06/2004
  13/06/2004 a 19/06/2004
  06/06/2004 a 12/06/2004
  30/05/2004 a 05/06/2004
  23/05/2004 a 29/05/2004
  09/05/2004 a 15/05/2004


Meus Links
  Clube da des(Conquista)
  Chorumelos (um blog com perspectiva totalmente masculina!)
  Deposito de Neuras
  Mulher o Suficiente
  Anônimo Incógnito - Diálogos Insanos
  Volume I
  P2B
  Um duelo - eu e ela.
  Nana Yazbek
  Leu porque quis
  Tchutchubiruba
  Caraqteres
  Cultura Pop by Lady O.
  Berenice disse