Clareador Cerebral


A hora de dizer adeus

Acho que cito muito Sex And The City.

Natural, pois durante anos, principalmente em fases solteiras, me inspirava e me espelhava na personagem Carrie. Já escrevi isso por aqui e novamente digo: A Carrie é sim uma verdadeira diva: Não é tão bonita, é inteligentíssima, culta, ama sapatos e o melhor, tem problema em escolher os homens. Para quem nunca assistiu Sex and The City, vou me esforçar para não fazer uma sinopse da série e explica-la, mas trata-se de quatro amigas, uma completamente diferente da outra, solteiras, bem sucedidas, vivendo em Nova Iorque. Quando comecei a assistir, não enxergava tantas semelhanças, pois morava com a minha mãe. Mas quando mudei para o meu apartamento e fiquei sozinha entre quatro pequenas paredes e um computador, aí sim começou a identificação.

A protagonista, Carrie, escreve uma coluna no jornal da cidade chamada “Sexo e a Cidade”. De uma forma ou de outra, antes eu achava que o Clareador era a minha coluna. Pode ter sido um encantamento infantil, devido ao número de leitores que só cresciam, e em relação aos e-mails que recebia (e ainda recebo). Acreditava ser a última bolacha do pacote nos blogs da cidade.

Tanto que amadureci a idéia e pensei em montar uma coluna mesmo. Penso nisso quase todos os dias e, quem sabe, essa idéia consiga sair do papel o quanto antes. Mas hoje, sei que sou só um biscoitinho água e sal dentro de uma leva de tão talentosos novos escritores.

Voltando ao “Sexo e a Cidade”.

Eu também tenho o meu Mr. Big. Mister Big é o grande amor da vida da Carrie, mas quem não conhece a série, precisa acompanhá-la para entender.

Acho que minha redundância está me atrapalhando. (risos)

Vou pular para o que deveria ser o começo desta postagem.

Ontem, de surpresa, assisti ao último capitulo de Sex and The City ao lado Dele. Eu, que aguardei tanto por esse momento, não assisti às duas últimas temporadas e fui pega de surpresa, de repente, pela TV a cabo. E sabe qual é o pior de tudo? Eu chorei em um episódio extremamente ruim.

Tecnicamente falando, o episódio perdeu algumas características básicas da série, como a narrativa da Carrie, simbolizando a vivência de seus textos. Já tinha lido sobre isso e não me surpreendi. Mas de qualquer forma, ao ver o Mr. Big dizendo à minha heroína que ela, perdedora, feia, inteligente e com uma bolsa caríssima foi a “escolhida”, fiquei estarrecida. É o fim de um ciclo. É o fim de uma era, em que sentir-se solteira era algo bom. Assim como essas algumas fêmeas que vivem o sexo e a cidade – sexo não é o ato físico e sim o fato de envolver-se e viver com pessoas em uma grande cidade, eu também me senti livre e emocionada. Eu também, durante muito tempo, fui considerada vanguarda entre muitas amigas, bem resolvida para outras pessoas, completamente maluca para muitos analistas. Mas ontem, deixei com que uma fase se fosse, como as lágrimas que escorriam de uma forma absurda no meu rosto.

E hoje de manhã, peguei meu carro, comprei um mochaccino de máquina em um posto de gasolina rumo ao trabalho e pensei: Realmente mudei; Estou fazendo algo que gosto.

Sorri ao ler uma frase em um caminhão: “Aqui vive um solteiro”. Pensei em colar algo no meu carro como: “Aqui jaz uma solteira, há tempos”. Não quero mais falar disso. Pois bem... Estou feliz.



 Escrito por Clareador Cerebral às 13h19
[   ]




Acerca da Futilidade

A futilidade, meus caros, não é tão ruim assim.

Vestidinhos, camisetinhas...

Ganho presentes e inflamo de alegria.

Pode parecer que não, mas sapatos podem salvar uma mulher.

Ou mesmo um bombom ao meio dia.

Ah, minha futilidade

Assim a teria, se planos não tivesse, e com tanta sabedoria

De casa, roupa lavada e prestações

Tantos sonhos senão fúteis?

Uma vida útil a jogar bola sempre à meia noite.

Dormir com os anjos é sonho de quem se trabalha

Nessa realidade sofrida

Que nós, mulheres, não sabemos administrar

Com dores em partes do corpo

Sem entender ao certo como funciona este organismo tão incorreto

Cheio de hormônios, dúvidas e medo.

Mas escrever, meus caros

Me parece fútil nesta vida que levo.

 

 

[Escrever uma poeminha com ritmo de prosa me é difícil.

Tentei para não ser tão chato quanto poesia

Perdão aos amantes dessa arte, mas acho poesia um porre. Preciso parar de escrevê-la]



 Escrito por Clareador Cerebral às 11h12
[   ]





 



M.P
BRASIL,
Histórico
  16/05/2010 a 22/05/2010
  07/02/2010 a 13/02/2010
  20/12/2009 a 26/12/2009
  22/11/2009 a 28/11/2009
  13/09/2009 a 19/09/2009
  16/08/2009 a 22/08/2009
  09/08/2009 a 15/08/2009
  26/07/2009 a 01/08/2009
  19/07/2009 a 25/07/2009
  05/07/2009 a 11/07/2009
  28/06/2009 a 04/07/2009
  21/06/2009 a 27/06/2009
  25/01/2009 a 31/01/2009
  11/01/2009 a 17/01/2009
  30/11/2008 a 06/12/2008
  23/11/2008 a 29/11/2008
  16/11/2008 a 22/11/2008
  13/07/2008 a 19/07/2008
  22/06/2008 a 28/06/2008
  18/05/2008 a 24/05/2008
  20/04/2008 a 26/04/2008
  03/02/2008 a 09/02/2008
  13/01/2008 a 19/01/2008
  02/12/2007 a 08/12/2007
  18/11/2007 a 24/11/2007
  21/10/2007 a 27/10/2007
  07/10/2007 a 13/10/2007
  30/09/2007 a 06/10/2007
  09/09/2007 a 15/09/2007
  26/08/2007 a 01/09/2007
  19/08/2007 a 25/08/2007
  12/08/2007 a 18/08/2007
  29/07/2007 a 04/08/2007
  22/07/2007 a 28/07/2007
  15/07/2007 a 21/07/2007
  08/07/2007 a 14/07/2007
  24/06/2007 a 30/06/2007
  10/06/2007 a 16/06/2007
  03/06/2007 a 09/06/2007
  27/05/2007 a 02/06/2007
  13/05/2007 a 19/05/2007
  06/05/2007 a 12/05/2007
  22/04/2007 a 28/04/2007
  08/04/2007 a 14/04/2007
  01/04/2007 a 07/04/2007
  25/03/2007 a 31/03/2007
  18/03/2007 a 24/03/2007
  11/03/2007 a 17/03/2007
  04/03/2007 a 10/03/2007
  25/02/2007 a 03/03/2007
  18/02/2007 a 24/02/2007
  11/02/2007 a 17/02/2007
  04/02/2007 a 10/02/2007
  28/01/2007 a 03/02/2007
  21/01/2007 a 27/01/2007
  14/01/2007 a 20/01/2007
  07/01/2007 a 13/01/2007
  31/12/2006 a 06/01/2007
  24/12/2006 a 30/12/2006
  10/12/2006 a 16/12/2006
  26/11/2006 a 02/12/2006
  12/11/2006 a 18/11/2006
  29/10/2006 a 04/11/2006
  22/10/2006 a 28/10/2006
  15/10/2006 a 21/10/2006
  30/07/2006 a 05/08/2006
  23/07/2006 a 29/07/2006
  16/07/2006 a 22/07/2006
  09/07/2006 a 15/07/2006
  02/07/2006 a 08/07/2006
  11/09/2005 a 17/09/2005
  28/08/2005 a 03/09/2005
  07/08/2005 a 13/08/2005
  31/07/2005 a 06/08/2005
  24/07/2005 a 30/07/2005
  17/07/2005 a 23/07/2005
  12/06/2005 a 18/06/2005
  05/06/2005 a 11/06/2005
  29/05/2005 a 04/06/2005
  22/05/2005 a 28/05/2005
  15/05/2005 a 21/05/2005
  08/05/2005 a 14/05/2005
  01/05/2005 a 07/05/2005
  24/04/2005 a 30/04/2005
  17/04/2005 a 23/04/2005
  03/04/2005 a 09/04/2005
  27/03/2005 a 02/04/2005
  20/03/2005 a 26/03/2005
  13/03/2005 a 19/03/2005
  06/03/2005 a 12/03/2005
  27/02/2005 a 05/03/2005
  20/02/2005 a 26/02/2005
  13/02/2005 a 19/02/2005
  06/02/2005 a 12/02/2005
  30/01/2005 a 05/02/2005
  23/01/2005 a 29/01/2005
  16/01/2005 a 22/01/2005
  09/01/2005 a 15/01/2005
  02/01/2005 a 08/01/2005
  26/12/2004 a 01/01/2005
  19/12/2004 a 25/12/2004
  12/12/2004 a 18/12/2004
  05/12/2004 a 11/12/2004
  21/11/2004 a 27/11/2004
  14/11/2004 a 20/11/2004
  07/11/2004 a 13/11/2004
  31/10/2004 a 06/11/2004
  24/10/2004 a 30/10/2004
  17/10/2004 a 23/10/2004
  10/10/2004 a 16/10/2004
  03/10/2004 a 09/10/2004
  26/09/2004 a 02/10/2004
  12/09/2004 a 18/09/2004
  05/09/2004 a 11/09/2004
  29/08/2004 a 04/09/2004
  22/08/2004 a 28/08/2004
  15/08/2004 a 21/08/2004
  08/08/2004 a 14/08/2004
  01/08/2004 a 07/08/2004
  18/07/2004 a 24/07/2004
  11/07/2004 a 17/07/2004
  04/07/2004 a 10/07/2004
  27/06/2004 a 03/07/2004
  20/06/2004 a 26/06/2004
  13/06/2004 a 19/06/2004
  06/06/2004 a 12/06/2004
  30/05/2004 a 05/06/2004
  23/05/2004 a 29/05/2004
  09/05/2004 a 15/05/2004


Meus Links
  Clube da des(Conquista)
  Chorumelos (um blog com perspectiva totalmente masculina!)
  Deposito de Neuras
  Mulher o Suficiente
  Anônimo Incógnito - Diálogos Insanos
  Volume I
  P2B
  Um duelo - eu e ela.
  Nana Yazbek
  Leu porque quis
  Tchutchubiruba
  Caraqteres
  Cultura Pop by Lady O.
  Berenice disse